D Ministério Verdade Viva    
============================================================
                                  é hora de mudar  nº 100 (julho-agosto)
  Página 2
                                         SERVIR É REINAR
                             
 

Certo dia, Deus me disse com muita clareza: Ensine meu povo a reinar. Quando falo em reinar, a mente logo pensa em termos de superioridade ou domínio; mas essa é uma concepção natural do assunto. Satanás tem confundido as mentes de tal modo que é difícil entendermos as coisas em termos espirituais, pelos quais reinar é ser submisso. Muitos pensam que reinar é mandar nos          outros. Em termos do Evangelho, reinar significa mandar em nós mesmos. Longo é o caminho que teremos de trilhar para chegarmos a desfrutar da plena restauração que Cristo nos conquistou.

 

E por que falo em restauração? Porque Jesus veio restaurar tudo o que Adão perdera. Ao colocar Adão na Terra, Deus ordenou-lhe dominar, reinar sobre tudo. E pode ser que alguém questione: Mas, irmão Bernard, você acabou de dizer que reinar, em termos espirituais, significa "ser submisso". Será que Adão era submisso? Sim, e antes da queda ele era tão submisso que tinha comunhão com Deus em tudo. A corrupção da escravidão (a altivez do coração) somente entrou no mundo depois que Adão se rebelou contra Deus.

        

E por que é longo o caminho de volta? Porque isso é obra do Espírito Santo, que nos ajuda a viver novamente na restauração que Jesus nos deu. Em razão das nossas concepções erradas, não é fácil aprendermos do Espírito Santo. Nessa restauração há, para todos nós, condições para reinarmos. Consideremos a vida de José do Egito, prestando bem atenção no que o Espírito Santo nos ensina.

 

"Habitou Jacó na terra das peregrinações de seu pai, na terra de Canaã. Esta é a história de Jacó: Tendo José dezessete anos (...)" - Gênesis 37:1,2.

        

A razão por que a narrativa passa da história de Jacó para a de José é porque Jacó tinha perdido o seu caminhar em Deus, não conseguindo reinar, na Terra, como Deus queria que ocorresse com Israel.

 

Deus desenvolve dons na vida do cristão. Esse é um assunto que interessa a todos; mas a nossa concepção dos Dons Espirituais é muito limitada, e a maioria de nós não tem ideia de como Deus desenvolve e opera os dons.

        

Ao considerar tudo o que aconteceu com José do Egito, descobriremos como Deus desenvolveu nele dois ministérios (graças): o ministério de Socorros e o de Governos (1 Coríntios 12:28). Através desses dois dons de Deus, José conseguiu governar o Egito e, ao mesmo tempo, socorrer seus irmãos.

        

A vida de José pode ser vista em três momentos específicos: 1) José na casa de seu pai, 2) José na casa de Potifar (como escravo) e prisioneiro na masmorra, 3) José como governador do Egito.

 

1) José na casa de seu pai

Quando José estava na casa de Jacó, Deus mostrou-lhe (em sonhos) como queria restaurar-lhe a condição de reinar na terra. Quando Moisés falou com o povo a respeito das bênçãos de Deus (aquilo que Deus queria fazer na vida deles), ele disse: "O Senhor te porá por cabeça, e não por cauda; e só estarás em cima, e não debaixo, se obedeceres aos mandamentos do Senhor teu Deus" (Deuteronômio 28:13).

 

Esta é a vontade de Deus para todos os Seus servos: fazer de todos nós cabeça. Deus cuida de nós em todo momento e procura, através do Espírito Santo, fazer-nos aprender a reinar na Terra.

        

Quando Deus falou com José em sonhos, Ele estava estabelecendo a condição de vida que Ele queria para José. Deus lhe revelou a Sua Vontade para a vida dele, mas José não soube comportar-se adequadamente em relação a essa revelação. Provavelmente todos temos certa dificuldade para entender o real propósito de Deus em Cristo para as nossas vidas. Somos muito limitados por nossas concepções naturais e, como o apóstolo Paulo disse em 1 Coríntios 2:9, não podemos sequer imaginar "o que Deus tem preparado para aqueles que       O amam". Somos nós que limitamos o que Deus quer fazer em nossas vidas.

 

Todo passo que tomamos em obediência a Deus será bloqueado pelo diabo, e foi isso que aconteceu com José. Satanás não conhece o futuro, e ele nada sabia do plano de Deus, até o momento em que José contou os sonhos para seus irmãos. Logo que José falou, Satanás resolveu frustrar o plano. Satanás está atento em todo momento no sentido de promover a nossa destruição. É necessário ter prudência em termos de o que se fala para que ele não leve vantagem alguma.

        

Em razão da imprudência de José, os irmãos se levantaram contra ele e o venderam como escravo. Satanás imaginava que, afastando José da sua terra e tornando-o escravo no Egito, o plano de Deus seria frustrado. Mas as manobras malignas não deram certo na vida de José como não darão certo em nossa vida, se aprendermos a reinar com Deus.

 

2) José escravo na casa de Potifar

Como foi o comportamento de José como escravo na casa de Potifar? E mais importante ainda, o que José aprendeu naquela etapa de sua vida? Vamos ler Gênesis 39:1-5:

        

"José foi levado ao Egito (...) O Senhor era com José que veio a ser homem próspero (...) Vendo Potifar que o Senhor era com ele, e que tudo o que ele fazia o Senhor prosperava em suas mãos (...) O Senhor abençoou a casa do egípcio, por amor de José; a bênção do Senhor estava sobre tudo o que tinha assim em casa como no campo".

        

Naquele período difícil, Deus desenvolveu dois dons na vida de José: Socorros e Governos. No texto original, a palavra "socorros" significa "aquele que não põe a mão", ou seja, aquele que sabe administrar o que é do outro, sem usar nada daquilo em seu próprio benefício. Para você reinar na vida, para você realmente se dominar por dentro, a primeira área a ser vencida é o auto-domínio em relação a coisas - bens materiais. Se você andar com Deus, receberá bens materiais de toda sorte. Mas se você deseja aprender a reinar com                 Deus na vida, você terá de aprender a não deixar que as coisas materiais exerçam influência sobre você.   

        

José desenvolveu o dom (ministério) de Socorros administrando os bens de Potifar de tal modo que Potifar viu "que tudo o que José fazia, o Senhor prosperava em suas mãos" (Gênesis 39:3). E Potifar "de nada sabia, além do pão com que se alimentava" (Gênesis 39:6).

 

A pessoa que é influenciada por bens materiais não reina, pois não tem o auto-domínio necessário para isso. Para Deus ter condições de nos prosperar com bens materiais, é necessário primeiramente que esses bens não representem nada para nós. José não tocou naquilo que administrava, porque "o Senhor era com José". José tinha aprendido (mesmo no sofrimento da escravidão e da prisão) a ser submisso a Deus e a sempre "dar a César o que é de César".

 

Essa é a condição para se reinar, em termos de bens materiais, que Jesus nos ensina em Mateus 6. Infelizmente a maioria dos cristãos nada entende disso e, ao invés de deixar que Deus cuide delas em tudo, procuram cuidar de si mesmas. E assim agem porque não têm domínio sobre o próprio coração, mas estão sempre buscando mais e mais bens, ao invés de fazer exatamente como Jesus ensinou: Buscar o reino de Deus e a Sua Justiça e deixar que Deus cuide do resto, acrescentando-lhes "todas estas coisas".

        

Agora, considere Gênesis 39:20-23: "E o Senhor de José (Potifar) o tomou e o lançou no cárcere, no lugar onde os presos do rei estavam encarcerados; ali ficou ele na prisão. O Senhor, porém, era com José e lhe foi benigno, e lhe deu mercê perante o carcereiro; o qual confiou às mãos de José todos os presos (...)".

        

Deus podia ter livrado José, mas era preciso desenvolver nele outro dom (ministério), para que ele fosse devidamente capacitado para o futuro, sendo um servo "perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra" (2 Timóteo 3:17). O carcereiro entregou a José toda a responsabilidade pela prisão e pelos presos. José tinha as chaves de tudo, mas, para ele, era mais importante comportar-se corretamente, com dignidade, que fugir da prisão. Jamais fuja de uma situação. Viva em toda ocasião na liberdade com que Cristo nos libertou (Gálatas 5:1). Deus quer que você seja verdadeiramente livre.

        

Na casa de Potifar, José aprendeu a cuidar das coisas, desempenhando suas funções na administração da casa do seu senhor no exercício do dom de socorros. Na prisão, José aprendeu a cuidar das pessoas, desenvolvendo o dom de governos. José era hebreu e provavelmente os egípcios o desprezavam; mas José aprendeu a tratar todos com o devido respeito e não usou da autoridade que tinha para abusar de ninguém. Aquele que tem o dom de Governos jamais usará o seu dom em interesse próprio. Ele jamais agride alguém e desempenha todo o serviço sem fazer acepção de pessoas.   

        

Conforme o Plano de Deus, José chegaria a governar o Egito; para isso, ele não somente precisava administrar bens materiais em socorro dos seus irmãos, mas também tinha de tratar a todos dignamente, de acordo com a responsabilidade do seu cargo. Em nenhum momento, ele podia deixar-se levar pelas emoções. Isso é reinar. A venda de José como escravo e a sua prisão no Egito foram consequências diretas da soberba que dominou seu coração depois que ele recebeu a revelação de Deus em sonhos.

        

Os dons de Deus são graças. Por Sua graça, Deus treinou (preparou) José em relação a coisas e pessoas. José levou 13 anos para aprender a reinar, mas, depois de todas essas experiências, José reinou sobre si mesmo de tal modo que a soberba foi totalmente afastada do seu coração e, mesmo sendo feito governador do Egito, José não "cresceu a cabeça", nem se esqueceu do Seu Deus. Se você proceder dessa forma, Deus fará de você cabeça e, não, cauda, em sua geração.

 

3) José como Governador do Egito

A terceira etapa da vida de José, quando ele foi governador do Egito, é muito conhecida por todos, e é um quadro dos dons de Deus (socorros e governos) na        prática de todo dia. Em termos espirituais, reinar significa "ser submisso". Ninguém receberá autoridade nas coisas de Deus enquanto não aprender a ser servo. Jesus disse: "No meio de vós, eu sou como quem serve" (Lucas 22:27). E o apóstolo Paulo, falando de como Jesus deixou a glória e tomou a forma de servo entre nós, disse que Jesus aprendeu a obediência pelas coisas que sofreu.

        

Eu sempre admiro como Jesus aprendeu a obediência. E uma coisa eu sei: a obediência, a submissão, é de grande valor na vida do cristão. Para José ser governador do Egito (administrar bem todas as coisas e não magoar as pessoas), ele precisava reinar sobre o próprio coração, tendo auto-domínio consciente sobre todos os seus sentimentos e interesses.

        

Reinar não é dominar os outros; reinar é dominar a si mesmo. Somente aprenderemos a reinar se mantivermos a presença de Deus em nossa vida, se vigiarmos no sentido de proporcionar a Deus condição de dominar todos os nossos interesses e sentimentos. Isso é ter Deus em primeiro lugar em tudo. Temos de ter autoridade sobre o nosso coração. 

        

Se você deseja que Deus desenvolva os dons espirituais em sua vida, é necessário que você saiba reinar de verdade, dominando a si mesmo e submetendo-se continuamente ao Espírito Santo. Você aprende a ter autoridade sobre os outros, reinando sobre si mesmo. José aprendeu a reinar de tal modo que não se deixou influenciar por  nenhuma das práticas pagãs do Egito.

        

Temos dificuldade para entender as coisas de Deus porque Satanás transtorna o nosso pensamento, dirigindo-o conforme os valores deste século (o pensamento e os procedimentos do mundo ao nosso redor). Deus não quer apenas levar você para o Céu. Ele quer restaurar-nos toda a condição de comunhão espiritual que Adão perdeu no Jardim, e isso significa: pensar como Deus pensa; ver como Deus vê; reinar como Deus reina.

        

Deus tem um plano para a sua vida que é infinitamente maior do que você imagina. O que Ele quer para você é a prosperidade plena, e não um mero acréscimo de bens materiais. O objetivo de Deus em sua vida é ilimitado e eterno, bênçãos grandiosas e ilimitadas ainda nesta vida; mas para que         isso seja uma realidade em sua vida, você tem de saber reinar.

        

Observe, agora, o capítulo 49 de Gênesis, a partir do versículo 22, que é o fantástico testemunho de Jacó a respeito de José. Considerando apenas algumas frases: "José é um ramo frutífero, ramo frutífero junto à fonte; seus galhos se estendem sobre o muro" (v22).

        

Isso nos lembra o Salmo 1:3. É assim que Deus quer nos fazer reinar. O âmbito do Reino de Deus em nosso coração não é algo restrito, limitado a abençoar os nossos interesses. José não somente foi uma benção para a sua família, mas também para todo o povo do Egito e das nações ao redor. Ele se conservou honrado diante de Deus e aprendeu a reinar, a não se deixar influenciar, pelas circunstâncias. Como servo de Deus, como pessoa que reina, não podemos pensar somente em nosso próprio bem-estar. E não sejamos egoístas, pois o egoísmo não é o espírito de Cristo. Devemos dar fruto em toda ocasião e em todo lugar, deixando que Deus desenvolva o Seu plano de restauração em nossa vida a tal ponto que reinemos sempre e em tudo. O apóstolo Paulo se referiu a isso, dizendo:

 

"Não ultrapasseis o que está escrito; a fim de que ninguém se ensoberbeça a favor de um em detrimento de outro. Pois quem é que te faz sobressair? e que tens tu que não tenhas recebido? e, se o recebeste, por que te vanglorias, como se o não tiveras recebido? Já estais fartos, já estais ricos: chegastes a reinar sem nós; sim, oxalá reinásseis para que também nós viéssemos a reinar            convosco" - 1 Coríntios 4:6-8.

 

Paulo diz: "já estais fartos, já estais ricos". Por quê? Porque receberam o que Jacó mencionou em seu testemunho a respeito de José: "(...) o Todo-poderoso (...) te abençoará com bênção dos altos céus (...)" - Gênesis 49:25.

        

Ser farto, ser rico é para quem reina, para quem vive as bênçãos do Céu já aqui na Terra. E no versículo 26 ainda o que Jacó fala: "As bênçãos (...) estejam (...) sobre o alto da cabeça do que foi distinguido entre seus irmãos".

        

O Espírito Santo falou que Deus procura um povo diferente na Terra. Ele quer fazer de cada um de nós uma pessoa diferente, não um crente comum, que se comporta como os demais. A diferença entre José e seus irmãos foi que José deixou que Deus desenvolvesse nele o auto-domínio de tal modo que ele foi plenamente restaurado, para ser na Terra um verdadeiro homem de Deus.

        

Deus distribui Seus dons e graças (ministérios) nos corações humanos; e eles se desenvolvem passo a passo na experiência de cada dia. Jamais teremos condição de desenvolver o dom de Socorros enquanto os bens materiais tiverem algum valor para nós. Semelhantemente, jamais desenvolveremos o dom de Governos, enquanto não reinarmos sobre nós mesmos, aprendendo como não fazer acepção de pessoas.

        

Gênesis 50:15-19 mostra o medo dos irmãos de José depois da morte do pai, e como José os tratou. Verso 19: "Respondeu-lhes José: Não temais; acaso estou eu em lugar de Deus?"

        

Quem sabe reinar jamais usurpa (traz para si) a autoridade, que é de Deus. Mas se mantém humilde, nunca se colocando como Deus diante dos irmãos.

        

Se queremos reinar, aprendamos a servir. Somente tem autoridade verdadeira no Corpo de Cristo aquele que já aprendeu a servir ao Corpo.  

        

Aquele que reina continua sempre como servo e jamais será dominador dos irmãos. E ele tem essa graça porque aprendeu o valor fundamental da submissão, do ser servo.      

 


Bernard W. Snelgrove

www.verdadeviva.org.

 
   
     < RETORNAR AO INÍCIO.